Cistocentese em animais domésticos: você conhece essa prática?

A cistocentese é o método de coleta de urina que evita a contaminação iatrogênica do trato urinário e lesões causadas pela passagem de sondas uretrais

Cistocentese em animais domésticos: você conhece essa prática?

A cistocentese é o método de coleta de urina que apresenta como vantagem a redução da possibilidade de contaminação da amostra por material presente no prepúcio, pênis ou uretra dos pacientes. Além disso, a técnica evita a contaminação iatrogênica do trato urinário e lesões causadas pela passagem de sondas uretrais.

As indicações para esse procedimento são a coleta de urina para análise laboratorial e a redução da pressão vesical em pacientes com obstrução uretral”, explica Gustavo Carvalho Cobucci, Médico Veterinário e Professor do VET Profissional, que é Mestre em Clínica Médica e Cirúrgica de Cães e Gatos.

Mas, como todo procedimento também existe algumas contraindicações:

- A técnica de cistocentese deve ser evitada em animais que apresentam distúrbios de coagulação;

- Caso o animal apresente suspeita de prostatite ou abcessos prostáticos, a cistocentese deve ser realizada somente guiada por ultrassom;

- A cistocentese guiada por ultrassom para punção aspirativa com agulha fina não deve ser utilizada para diagnóstico citológico de neoplasias cervicais, pois, nesses casos, a agulha pode disseminar células neoplásicas durante o trajeto de saída da bexiga.

E como é realizado esse procedimento?

Localize a bexiga do paciente através do exame de ultrassom. Em seguida, insira a agulha com a seringa na direção da bexiga do animal para fazer a aspiração da urina do paciente.

A cistocentese também pode ser realizada às cegas, ou seja, sem o auxílio de ultrassom, desde que se tome como referência estruturas anatômicas do corpo do paciente. Observe, na imagem a seguir, o posicionamento da agulha para o exame em cadelas.

Em fêmeas caninas, o posicionamento da agulha deve ser em porção medial entre os quartos mamários posteriores.

Em fêmeas caninas, o posicionamento da agulha deve ser em porção medial entre os quartos mamários posteriores.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Clínica Médica de Cães e Gatos do VET Profissional, com o Prof. M.e Gustavo Carvalho Cobucci, Mestre em Clínica Médica e Cirúrgica de Cães e Gatos pela Universidade Federal de Viçosa e com o Prof. Dr. Rodrigo Horta, Mestre pela UFMG em Avaliação da Nocicepção, complicações pós-operatórias e impacto na qualidade de vida em técnicas de mastectomia na espécie canina. Doutorado sanduíche pela UFMG e na University of Cambridge, Inglaterra, em Propostas terapêuticas para o mastocitoma canino. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

 

Receba Mais Informações