Corte das asas de aves de estimação: como realizar esse procedimento?

O corte das asas pode ser feito por um veterinário habilitado em qualquer estabelecimento e tem o objetivo de conter o voo das aves

Corte das asas de aves de estimação: como realizar esse procedimento?

O corte das asas pode ser feito por um veterinário habilitado em qualquer estabelecimento e tem o objetivo de conter o voo das aves, uma vez que elas não conseguirão sustentá-lo por muito tempo após o procedimento.

É preciso que o veterinário esclareça ao tutor da ave que o corte das asas não impede a mesma de tentar voar, mas, sim, de manter o voo. “O animal continuará com seus hábitos de saltar de lugares altos ou de um ponto para outro, daí a importância de se efetuar o corte das asas corretamente, pois, do contrário, a ave ficará desestabilizada durante o salto e, em vez de planar, cairá em queda livre”, explica Letícia Bergo Coelho Ferreira, Médica Veterinária e Professora do VET Profissional, que é Mestra em Morfofisiologia dos Animais Domésticos e Selvagens.

Para a contenção de voo, corta-se apenas entre 5 e 8 rêmiges primárias, não sendo necessário cortar as secundárias. É comum manter a integridade das duas primeiras penas por uma questão estética, entretanto, no caso de animais de gaiola, é aconselhável também o seu corte, porque, como são penas muito longas, estão mais suscetíveis a fraturas devido ao espaço apertado.

Inicialmente, é preciso conter o animal com uma toalha para evitar qualquer dano ao veterinário e à própria ave. Feito isso, deve-se abrir a asa e verificar se há a presença de penas jovens, com o bulbo repleto de sangue. Em caso positivo, essas penas deverão ser poupadas, pois seu corte pode dar origem a uma severa hemorragia.

O corte pode ser feito no limite das penas de contorno, de modo que ficarão escondidas pelas penas de cobertura. Assim, ao segurar a ave bem firmemente, delimita-se a asa com os dedos, para que a pele não seja lesionada, e efetua-se o corte com uma tesoura, de preferência, pena a pena.

A manutenção desse procedimento deve ser realizada de 8 a 12 semanas após o período de muda das penas ou quando o tutor verificar crescimento significativo das rêmiges.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Clínica e Manejo de Animais Silvestres e Pets Exóticos do VET Profissional, com a Prof.ª M.ª Letícia Bergo Coelho Ferreira, Mestra em Morfofisiologia dos Animais Domésticos e Selvagens. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações