Cuidado veterinário: o que é Otohematoma?

O otohematoma é muito comum em cães e pode ser decorrente da otite

Cuidado veterinário: o que é Otohematoma?   VetProfissional


Muito comum em cães e muito tratado por veterinários o otohematoma ou hematoma auricular é um hematoma que costuma aparecer no pavilhão auricular desses animais, caracterizado por um conjunto de sangue entre a cartilagem auricular e a pele canina, que pode ocorrer após uma lesão de segundo grau.

Seu surgimento está, muitas vezes, relacionado a traumas decorrentes de prurido e agitação da cabeça em cães que possuem otite externa. Isso porque, quando o cão coça, ele pode fraturar a cartilagem e promover o rompimento de veias auriculares. Ainda pode surgir por conta de síndromes sistêmicas, sarnas auriculares ou traumas adquiridos após brigas com outro cão.

Em sua fase aguda, há a deposição de fibrina, proveniente do processo fisiológico de hemostasia, com presença de seroma sanguinolento. Em casos crônicos há a presença de fibrose na superfície côncava do pavilhão auricular e também deformação. O diagnóstico é feito a partir do histórico clínico e anamnese.

Nos casos em que o animal apresenta o otohematoma em decorrência da otite externa, é recomendado a realização de exames citológicos e antibiograma, de forma a identificar o agente biológico causador.

São vários os procedimentos que podem ser realizados para tratar o otohematoma, mas alguns não apresentam resultados plausíveis por conta de problemas no tempo de coagulação, perda de estética e eficiência do método utilizado.

Dentre eles, o mais utilizado por veterinários é a técnica de incisão em “S”, que é um procedimento cirúrgico. A drenagem do conteúdo também pode ser feita, mas pe preciso levar em conta em qual estágio a afecção se encontra para que ela seja associada ao tratamento da otite, caso seja esse o agente causador.

Outra técnica empreendida é a colocação de drenos de silicone e revestimento de borracha, porém não é muito satisfatória. Isso porque ela possui riscos de formação de seroma e deformação.

Na fase inicial do otohematoma, pode-se aplicar a técnica de aspiração, necessitando que o animal esteja sedado. Porém, são dois os principais problemas apresentados por essa técnica: ocorrência de incidência da lesão e risco de infecção secundária. A aplicação de corticosteroides é feita como alternativa aos procedimentos cirúrgicos pois esse método apresenta resultados mais convincentes do que as cirurgias.

Prevenção


De forma a prevenir o otohematoma, deve-se observar alterações na cor e no odor do cerúmen ou dores durante a limpeza do pavilhão auricular dos cães. A otite pode ser identificada quando o cão apresenta intolerância ao mexer na cabeça, coceira e quando ele sacode a cabeça.

Em qualquer um desses casos, a recomendação é consultar o animal com um veterinário para avaliação e diagnóstico.

Kelly Cristine de Sousa Pontes, Médica Veterinária e professora do VET Profissional, que é Mestre e Doutora em Oftalmologia Veterinária, alerta para que, "na presença dos sintomas ou percepção do otohematoma, não haja a tentativa de automedicação ou de perfuração do local, devendo recorrer a um veterinário para início do tratamento".


Aprenda mais sobre esse assunto na área Cirurgia de Cães e Gatos do VET Profissional, com a Prof.ª Dr.ª Kelly Cristine de Sousa Pontes, Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia, pela Leiden University – Holanda e Doutora em Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais, pela Universidade Federal de Viçosa. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

 

Fonte: Mariana Diniz para Ourofino – Saúde Animal – ourofinopet.com/blog/
por Renato Rodrigues

Receba Mais Informações