Esgotamento de inóculo: como realizar esse método de isolamento de microrganismos?

A técnica de isolamento de microrganismos é utilizada para estudar um microrganismo em particular, sendo, para isso, separado da população em que está inserido e cultivado em culturas puras

Esgotamento de inóculo: como realizar esse método de isolamento de microrganismos?

O método de isolamento de microrganismos é denominado Esgotamento do Inóculo, cujo objetivo é formar uma colônia pura a partir de uma única célula de determinado microrganismo.

O princípio do método é que, quando se obtém uma cultura com muita carga microbiana, é necessário esgotar ou reduzir, ao máximo, essa carga para que se possa isolar o microrganismo”, explica Emilene Campos Galvão, Professora do VET Profissional, que é Pós-doutora em Inspeção de Produtos de Origem Animal, Doutora e Mestre em Microbiologia Agrícola.

Para fazer o esgotamento devemos coletar uma amostra da cultura inicial, com alta carga microbiana, utilizando uma alça de repicagem. Em seguida, em uma nova placa de petri, devemos passar a alça de repicagem contendo a amostra várias vezes sobre o meio de cultura sólido da placa.

Duas técnicas – denominadas técnicas de isolamento - são utilizadas para passar a alça de repicagem no meio de cultura sólido, são elas: estria simples e estria composta.

Essas técnicas formam desenhos diferentes sobre as placas com meio de cultura.

Essas técnicas formam desenhos diferentes sobre as placas com meio de cultura.


Na técnica de estria simples, o ideal é que as estrias não se sobreponham, mas sejam feitas a certa distância.

Na técnica de estria composta, a placa deve ser dividida em quadrantes onde são feitas várias linhas paralelas ou estrias simples.

Na técnica de estria composta, o médico deverá esterilizar a alça de repicagem antes de fazer as estrias ou linhas paralelas entre um quadrante e outro.

Este procedimento garante que, no último quadrante, a concentração de células do microrganismo seja menor na alça de repicagem, favorecendo o isolamento e a obtenção de uma única colônia. É importante que os quadrante onde foram feitas as estrias não se sobreponham, para permitir a identificação da formação de colônias únicas.

Muitas vezes, os microrganismos encontram-se em uma cultura mista, junto a diversos outras bactérias que, quando isoladas, formam colônias diferenciadas.

Nesses casos, recomenda-se isolar as colônias separadamente a fim de identificar as características de cada uma delas e os microrganismos responsáveis pela formação das mesmas.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Microbiologia Geral do VET Profissional, com a Prof.ª Dr.ª Emilene Campos Galvão, Pós-doutora em Inspeção de Produtos de Origem Animal, Doutora e Mestre em Microbiologia Agrícola. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações