Esofagotomia cervical animal: conheça essa técnica cirúrgica de abertura do esôfago

A esofagotomia é importante tanto para explorar alguma alteração observada em exames quanto para remoção de corpos estranhos

Esofagotomia cervical animal: conheça essa técnica cirúrgica de abertura do esôfago

A esofagotomia é a técnica cirúrgica de abertura do esôfago. Ela é importante tanto para explorar alguma alteração observada em exames quanto para remoção de corpos estranhos, neoplasias, correção de perfurações e fístulas, entre muitos outros casos”, explica Kelly Cristine de Sousa Pontes, Médica Veterinária e Professora do VET Profissional, que é Mestre em Técnicas Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais, Doutora em Cirurgias e Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia.

Na técnica de esofagotomia cervical, o animal deverá ser colocado em decúbito dorsal com um apoio abaixo da região cervical para uma melhor exposição do órgão. A tricotomia deverá ser feita de forma ampla na região a ser operada.

Quando for realizar a remoção de um corpo estranho, deverá ser feita uma incisão longitudinal. O local para realizar a incisão dependerá da situação em que a parede do esôfago se encontra. Se o corpo estranho não estiver comprometendo a parede do esôfago e essa estiver normal, a incisão poderá ser em cima do corpo estranho. Por outro lado, se a parede do esôfago estiver comprometida, a incisão deverá ser caudal ao corpo estranho. Isso é feito para que não haja a deiscência da sutura.

É importante que a incisão feita seja no tamanho suficiente para retirar o corpo estranho, não fazendo, assim, um corte maior que o necessário.

 

Tamanho correto de incisão.

Tamanho correto de incisão.

Antes de realizar a sutura, deve-se limpar a região com uma gaze umedecida para minimizar o risco de infecção. A sutura deve ser feita em duas linhas: a primeira na mucosa e outra na muscular.

Feita a sutura, é importante que o cirurgião tenha o cuidado de verificar se há algum ponto que esteja extravasando líquido. Caso esteja com algum ponto vazando, é importante que se faça uma sutura adicional para que isso não aconteça.

Finalizada a sutura da parede do esôfago, o órgão deve ser colocado de volta em seu lugar e retirados os instrumentos para, assim, realizar a sutura muscular e subcutânea. Deve ser ressaltado que nesse momento é de extrema importância ser trocada a luva para evitar qualquer tipo de contaminação, bem como todos os instrumentos utilizados. Para finalizar, realiza-se a sutura da pele.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Cirurgia de Cães e Gatos do VET Profissional, com a Prof.ª Dr.ª Kelly Cristine de Sousa Pontes, Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia, pela Leiden University – Holanda, Doutora em Cirurgias pela Universidade Federal de Viçosa e Mestre em Técnicas Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais, pela mesma instituição. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações