Exames oftálmicos em animais domésticos: por onde começar?

A realização do exame oftálmico é de suma importância, não só para avaliação da afecção dos olhos, mas também para obtenção de informações sobre outros órgãos

Exames oftálmicos em animais domésticos: por onde começar?

O exame oftálmico é importante não só para avaliação da afecção presente, mas também para obter informações importantes sobre outros órgãos, como fígado, sistema cardiovascular etc.

Com isso, percebe-se que os sinais oftálmicos podem direcionar para alguma doença sistêmica no paciente e, assim, o médico veterinário pode oferecê-lo um tratamento completo e não apenas localizado”, explica Kelly Cristine de Sousa Pontes, Médica Veterinária e professora do VET Profissional, que é Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia e Doutora em Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais.

Para realização dos exames oftálmicos, a contenção do paciente deve ser mínima, de preferência sem sedação ou anestesia para que não ocorram interferências.

Mas, se o paciente for indócil, deve ser colocado uma focinheira ou utilizar a bolsa de contenção.

 

Forma correta de contenção do paciente para o exame oftálmico.

Forma correta de contenção do paciente para o exame oftálmico.

A anamnese é de grande importância para direcionar a um diagnóstico preciso. Para isso, deve conter algumas perguntas relacionadas ao paciente, como idade, sexo, raça, cor da pelagem e da íris, saúde geral, entre outras.

a) Exame em ambiente claro

O início do exame ocorre em ambiente claro, com o animal distante e sem manipulações.

Durante a anamnese, o paciente deve ter movimentação livre para que se possa observar o seu estado mental, neurológico e visual. Dessa forma, pode ser visualizada possível cegueira, exoftalmia, simetria facial e conformação orbitária.

A manipulação do animal deve ser feita com ele sobre a mesa e, ao realizar o exame, devem ser apalpados o seu crânio e suas órbitas. Se houver algum problema com o animal, serão verificadas deformidades, crepitações, assimetrias e desconfortos.

A posição da cabeça do paciente deve ser modificada durante a avaliação, realizando posicionamentos diferentes.

b) Exame de crânio e de órbitas

Este exame é realizado em ambiente claro, devendo já ser avaliada a posição das pálpebras, as órbitas e periórbita. Deve ser verificada também a existência ou não de alguma assimetria nos olhos.

Neste exame deve ser verificado se existem anormalidades ciliares, palpebrais e de terceira pálpebra.

 

Procedimento de eversão de pálpebras de um cão.

Procedimento de eversão de pálpebras de um cão.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Oftalmologia Veterinária do VET Profissional, com a Prof.ª Dr.ª Kelly Cristine de Sousa Pontes, Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia, pela Leiden University – Holanda e Doutora em Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais, pela Universidade Federal de Viçosa. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações