Lipidose hepática em gatos: como diagnosticar?

A lipidose hepática em felinos é desencadeada por períodos prolongados de anorexia que fazem com que o corpo armazene excesso de gordura no fígado

Lipidose hepática em gatos: como diagnosticar?

Períodos prolongados de anorexia podem trazer como consequência a lipidose hepática. “Esse quadro ocasiona o mau funcionamento das células do fígado e do trato biliar”, explica Fabíola Carolina de Almeida, Médica Veterinária e Professora do VET Profissional, que é Pós-graduada em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais.

Para chegar ao diagnóstico, deve-se seguir alguns passos, iniciando-se pela identificação do paciente. Após a correta identificação do animal, dá-se início à etapa de anamnese do paciente.

A anamnese é feita no início da consulta e o Médico Veterinário faz anotações ao longo de uma entrevista com o tutor do animal. Após a anamnese, passamos, então, para a realização do exame físico do nosso paciente. As observações feitas ao longo do exame físico também devem ser registradas para avaliação e análise.

Diante das alterações observadas no exame físico em conjunto com as considerações feitas pelo tutor durante a anamnese, temos a suspeita de lipidose hepática. A partir desse fato, são recomendados exames laboratoriais (hemograma, esfregaço sanguíneo e bioquímico) e exame complementar (ultrassonografia).

O hemograma é solicitado com o objetivo de avaliar a “série vermelha” do paciente, a saber o número de plaquetas, os sinais de anemia, sinais de processo inflamatório ou infeccioso e a presença de hematozoários. Com o hemograma também se faz o diagnóstico para Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV) e Vírus da Leucemia Felina (FeLV) .

O exame bioquímico é solicitado com o objetivo de avaliar a icterícia e observar a dosagem sérica das enzimas hepáticas do paciente, a saber: ALT, AST, FA, bilirrubina direta, indireta e bilirrubina total.

O exame de ultrassom abdominal completo do paciente é solicitado com o objetivo de avaliar alterações observadas durante exame físico, principalmente a algia na região do abdômen; investigar o quadro hepático e as possíveis causas da anorexia. A observação do fígado através do exame de ultrassom permite constatar quadros de lipidose hepática, muito comuns em pacientes com anorexia prolongada.

O esfregaço sanguíneo é o exame que permite avaliar microscopicamente as células do sangue. Esse exame foi solicitado com o objetivo de identificar a presença de parasitas no sangue do paciente.

Diante dos dados coletados durante a anamnese do paciente, das alterações observadas durante o exame físico e dos resultados observados nos exames laboratoriais e complementares será possível definir os diagnósticos para o paciente.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Casos Clínicos – Cães e Gatos do VET Profissional, com a Prof.ª Fabíola Carolina de Almeida, Pós-graduada em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais pela Univiçosa. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações