Técnicas anestésicas locais em bovinos

A anestesia local é mais indicada para a realização de cirurgias em bovinos

Técnicas anestésicas locais em bovinos   Artigos VetProfissional


A anestesia faz parte da rotina veterinária e é importante para os bovinos. Em termos técnicos, a anestesia consiste na aplicação de medicamentos para eliminar ou aliviar a dor em um local ou de forma generalizada, de modo que seja possível realizar procedimentos cirúrgicos. Cabe ao médico veterinário avaliar o animal e definir qual a melhor forma de aplicação em cada caso.

Luís Eugênio Franklin Augusto, Médico Veterinário e Professor do VetProfissional, explica que durante todo o procedimento cirúrgico, o paciente é monitorado de perto pelo anestesiologista e técnicos especializados. Os medicamentos usados para pacientes veterinários e muitas das técnicas de administração para bloqueios epidurais ou dentários são semelhantes àquelas feitas em pacientes humanos, mas com diferenças em dosagens e tempo de bloqueio.

Por ser mais prático e barato, para a realização de cirurgias em bovinos, costuma-se aplicar anestesia local, em conjunto com sedativos. A anestesia local retira por completo a sensibilidade apenas do local que passará pela intervenção cirúrgica, o que a difere da anestesia geral. As técnicas de anestesias locais mais utilizadas são:


I- Anestesia em linha de incisão

Esse método anestésico é mais simples e consiste na aplicação de anestesia infiltrativa, de forma linear no local a ser operado. Para abertura na cavidade abdominal, essa anestesia deve ser aplicada também no espaço situado sob a pele e nos músculos, com a aplicação de aproximadamente 50mL, quantidade suficiente. Apresenta desvantagens como a necessidade de nova aplicação para ampliação e não permite muita tração nas bordas da incisão.

II- Anestesia em L invertido

Como o próprio nome sugere, o anestésico é aplicado em forma de L invertido, o que cria uma área anestesiada para o campo cirúrgico. Para abertura cirúrgica da cavidade abdominal, é imprescindível realizar infiltrações lineares, seja vertical caudal à última costela ou horizontal ventralmente aos processos transversos das vértebras lombares. Para isso, utiliza-se cerca de 60 a 100mL, quantidade ideal para que todos os nervos da região a ser operada sejam bloqueados.

III- Anestesia paravertebral proximal

A aplicação paravertebral proximal é um método anestésico muito eficiente, recomendado para abertura cirúrgica das cavidades abdominais laterais altas, medias ou baixas, ruminotomia, cesarianas, entre outros. Utiliza-se cerca de 20mL por ponto, ou seja, 60mL, aplicando-a lateralmente ao plano sagital.

IV- Anestesia paravertebral distal

O objetivo da anestesia paravertebral distal é o bloqueio dos mesmos nervos da proximal, porém em regiões mais distantes do sagital. Aplica-se a anestesia na região dorsal e ventral da borda cranial dos processos transversos das vértebras. De um total de 60mL, aplica-se 10mL em cada ponto.

V- Anestesia epidural

- Baixa: é mais indicada para procedimentos cirúrgicos na cauda, ânus, reto, vulva, vagina e pele da região perienal, bem como redução de prolapso uterino, entre outros.

- Alta: recomendada para intervenções cirúrgicas no pênis e traumas dos membros pélvicos, entre outros.

VI- Anestesia de Bier

É aplicada de forma intravenosa. É uma forma simplificada e segura para promover a analgesia nos dígitos de ruminantes. Esse tipo de anestesia é indicado para remover membranas inflamadas e suturar feridas de extremidades. Também é recomendada para remover neoplasias, tratamento de pododermatite, amputação da terceira falange, tenotomias e neurectomias.

Aprenda mais sobre Técnicas Anestésicas na Aula 14 - Anestesia a campo em bovinos, disponível no VetProfissonal, a mais moderna ferramenta de capacitação para médicos veterinários e estudantes de veterinária disponível no mercado, com a qual você obterá todos os conhecimentos necessários para garantir o bem-estar dos animais e alcançar êxito em sua profissão. 

Fonte: CPT Cursos Presenciais – cptpcursospresenciais.com.br/blog/
por Renato Rodrigues

Receba Mais Informações