Veterinário: ajude seu cliente na escolha do tipo de granja de frango

Seus esclarecimentos devem começar pelos três tipos de sistema de podução: produção de matrizes, granjas de poedeiras e granjas de frango de corte

Veterinário: ajude seu cliente na escolha do tipo de granja de frango   VetProfissional

Precisando ajudar seu cliente na escolha certa do tipo de granja de frango? Seus esclarecimentos, então, devem começar pelos três tipos de sistema de podução: produção de matrizes, granjas de poedeiras e granjas de frango de corte. "Juntos, vocês poderão caminhar na direção certa, de acordo com os recursos para a implantação do empreendimento e de acordo com as necessidades de produção local", afirma Marcelo Dias da Silva, Médico Veterinário e Professor do VET Profissional, que é Doutor em Zootecnia e Mestre em Agroquímica.

I- Produção de matrizes


As granjas matrizes abrigam linhagens de aves destinadas à postura ou corte que são caracterizadas pela qualidade genética. Essas aves são responsáveis por sustentar a produção. Trata-se de um sistema que emprega alta tecnologia e demanda por profissionais qualificados. A produção e manejo de matrizes é também uma das áreas que mais necessita da atuação de médicos veterinários. No Brasil, em geral, as granjas de matrizes pertencem a produtores que desenvolvem parceria ou negócios com grandes empresas.

II- Granjas de poedeiras


Como o próprio nome já diz, as poedeiras são responsáveis pela produção de ovos. Esse sistema abarca diversos tipos de produtores agrícolas que se localizam próximos aos cinturões das zonas urbanas. Essa localização deve-se, principalmente, à característica perecível do ovo, que demanda constante oferta e reposição do produto no mercado.

III- Produção de frango de corte


O Brasil é um importante produtor e exportador da carne de frango no mercado internacional, além de ser um dos maiores consumidores do produto no mundo. Nesse sistema, a presença de grandes empresas ligadas aos produtores desenvolve um tipo de padrão de produção para pequenos, médios e grandes produtores.

Qualquer que seja o sistema de produção, em todos eles o início do processo produtivo se inicia com a recepção dos pintinhos, chegam até a granja transportados em caixas feitas de plástico rígido ou em caixas de papelão com furos para ventilação. Durante a chegada dos pintinhos, é preciso atentar para o fato de estarem estressados e, às vezes, desidratados devido à locomoção que, em alguns casos, pode durar até 2 ou 3 dias de viagem de caminhão.

Geralmente, os animais já se encontram vacinados e separados por sexo. Por exemplo: lotes de pintinhos encaminhados a um sistema avícola de produção de poedeiras serão formados por fêmeas . Já no caso de pintinhos destinados à produção para corte, os machos devem vir com as esporas queimadas. Em granjas matrizes, os lotes entregues correspondem a 15% de machos e 85% de fêmeas.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Aves Domésticas – Produção e Principais Doenças do VET Profissional, com o Prof. Dr. Marcelo Dias da Silva, Doutor em Zootecnia pela Universidade Federal de Viçosa e Mestre em Agroquímica também pela Universidade Federal de Viçosa. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações