Veterinário Radiologista: atenção aos artefatos de imagem!

Os artefatos de imagem são exibições de informações (imagens) que não correspondem exatamente à verdadeira imagem da área examinada

Veterinário Radiologista: atenção aos artefatos de imagem!

Os artefatos de imagem são exibições de informações (imagens) que não correspondem exatamente à verdadeira imagem da área examinada, explica Sâmara Turbay Pires, Médica Veterinária e Professora do VET Profissional, que é Mestre em Diagnóstico por Imagem e Doutora em Biociência Animal. São frequentemente observados nos exames ultrassonográficos. Os artefatos mais comuns vistos dentro da avaliação ultrassonográfica dos animais são:


1) Reforço acústico posterior/intensificação acústica:
É um reforço da passagem do som. Ocorre toda vez que se tem uma estrutura com líquido em seu interior, impedindo o som de voltar.

Estrutura com líquido → chega mais som com mais intensidade nas estruturas abaixo do órgão → estrutura mais hiperecogênica.

Imagem de ultrassonografia com passagem de som abaixo da estrutura: (A) Estrutura com líquido; (B) Região mais hiperecogênica VetProfissional

Foto: Imagem de ultrassonografia com passagem de som abaixo da estrutura: (A) Estrutura com líquido; (B) Região mais hiperecogênica VetProfissional

2) Sombra acústica posterior:
Nas estruturas em que a impedância acústica (velocidade do som) é muito diferente em relação aos tecidos moles, o som é impedido de passar. Se o som não chega abaixo da estrutura, existe uma sombra acústica.

Ultrassonografia de um cálculo na bexiga demostrando a área de sombra acústica VetProfissional

Foto: Ultrassonografia de um cálculo na bexiga demostrando a área de sombra acústica VetProfissional

3) Imagem em espelho:
Processo onde aparecem duas imagens de um mesmo órgão. Acontece em estruturas que são côncavas e altamente reflexivas.

- Quando o som encontra a superfície côncava totalmente reflexiva, o som bate e sofre um desvio. Quando desvia, volta novamente e só depois retorna até o transdutor. O aparelho de ultrassom mostra a densidade (mais ou menos hiperecogênico) e a profundidade da estrutura.
- Quanto mais rápido o som retorna até o transdutor, mais superficial está a estrutura.
- Quanto mais demorado é o retorno do som até o transdutor, o aparelho entende que a estrutura está mais profunda.

Foto: Ultrassonografia de um fígado mais superficial (A), com o transdutor (B) entendendo que existe outro fígado mais profundo no abdômen do animal VetProfissional

Foto: Ultrassonografia de um fígado mais superficial (A), com o transdutor (B) entendendo que existe outro fígado mais profundo no abdômen do animal VetProfissional

4) Reverberação:
É o processo onde as linhas hiperecogênicas se formam uma abaixo da outra, logo após a sombra acústica. Estão relacionadas principalmente com a presença de ar nas estruturas.

- O som que chega até a estrutura é refletido. Ao encontrar o ar, por exemplo, o som será impedido de passar, retornando com muita velocidade e, parte dele, será rebatido velozmente.

Ultrassonografia da alça intestinal (com gás), formando as linhas hiperecogênicas, com o som rebatendo até perder a velocidade VetProfissional

Foto: Ultrassonografia da alça intestinal (com gás), formando as linhas hiperecogênicas, com o som rebatendo até perder a velocidade VetProfissional

5) Espessura de corte:
Ocorre principalmente em estruturas com líquido em seu interior, onde o pseudosedimento mimetizará algum tipo de sedimento.

- Veja abaixo que essa espessura de corte imita a presença de sedimento no lume da bexiga e vesícula biliar (pseudosedimento). É observada uma região mais hiperecogênica dentro da bexiga que vai mimetizar um sedimento na vesícula urinária.

Imagem ultrassonográfica de bexiga com demonstração de uma região mais hiperecogênica VetProfissional

Foto: Imagem ultrassonográfica de bexiga com demonstração de uma região mais hiperecogênica VetProfissional

6) Sombreamento lateral:
Quando se tem uma estrutura arredondada (vesícula biliar, rim, por exemplo), o som vem, e quando encontra as duas superfícies da estrutura arredondada, é desviado.

- O som que foi refletido/desviado não retorna ao transdutor. Sendo assim, forma-se na região um sombreamento acústico lateral.

Ultrassonografia mostrando a vesícula biliar com sombreamento lateral acústico VetProfissional

Foto: Ultrassonografia mostrando a vesícula biliar com sombreamento lateral acústico VetProfissional


Aprenda mais sobre esse assunto na área Diagnóstico por Imagem de Cães e Gatos do VET Profissional, com a Prof.ª Dr.ª Sâmara Turbay Pires, Mestre em Diagnóstico por Imagem e Doutora em Biociência Animal, pela Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos na Universidade de São Paulo (USP). O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações