Dermatofitose em Gato: como coletar amostras para o diagnóstico?

Para fazer o diagnóstico das lesões cutâneas é necessário coletar pelos do animal que serão encaminhados para o laboratório a fim de fazer o exame de cultura fúngica

Dermatofitose em Gato: como coletar amostras para o diagnóstico?

Quando nos deparamos com pacientes com lesões de pele circunscritas em determinadas áreas do corpo, é muito difícil fazer o diagnóstico observando apenas as características das lesões, pois essas se apresentam de modo semelhante para diferentes agentes ou causas.

Por isso, é necessário solicitar o raspado de pele aliado ao exame de cultura fúngica para eliminar diagnósticos diferenciais”, explica Fabíola Carolina de Almeida, professora do VET Profissional.

A coleta de pelos para o exame de cultura fúngica é feita de amostras localizadas na borda das áreas alopécicas.

Quanto maior a quantidade de pelos coletados e em diferentes regiões acometidas, melhor será a amostra para o exame de cultura fúngica.

Em pacientes assintomáticos, isto é, nos quais não é possível observar a lesão a olho nu, a coleta de amostra para cultura fúngica acontece por meio da escovação do paciente. A coleta deve ser feita com uma escova de pelos estéril. Essa deve ser passada na direção contrária ao crescimento do pelo.

A amostra coletada para cultura fúngica deve ser armazenada em um pote coletor. Contudo, o médico veterinário não deve rodar a tampa do pote, para não correr o risco de matar os fungos que vivem nos pelos e fazer com que o resultado do exame seja falso negativo.


Aprenda mais sobre o assunto na área – Casos Clínicos – Cães e Gatos - disponível na Área VET Profissional, a mais moderna ferramenta de capacitação para médicos veterinários e estudantes de veterinária disponível no mercado, com a qual você obterá todos os conhecimentos necessários para garantir o bem-estar dos animais e alcançar êxito em sua profissão.

Receba Mais Informações