Equinos com carrapatos: como fazer o controle?

O controle de ectoparasitas favorece o manejo sanitário e tem como principal foco a ação de carrapatos

Equinos com carrapatos: como fazer o controle
 

Os carrapatos são os principais ectoparasitas de equinos e correspondem ao maior desafio de contingência na criação e também em relação ao plano de biosseguridade.

O Amblyomma cajennense é o carrapato mais comum na criação de equinos”, explica Maria Gazzinelli, professora do VET Profissional. Apresenta ciclo trioxeno, isto é, pode hospedar-se em outras espécies de animais ruminantes disseminando patógenos. Essa característica dificulta o seu controle.

As fases de lava/ninfa do carrapato Amblyomma não são específicas. Dessa maneira, nessas fases, o carrapato pode parasitar outras espécies de animais e transmitir maior número de patógenos aos hospedeiros. Já na fase adulta, esse ectoparasita tem preferência por cavalos.

O Amblyomma cajennense é o carrapato mais comum na criação de equinos.

O Amblyomma cajennense é o carrapato mais comum na criação de equinos.

Outras espécies de carrapatos que atacam equinos são: Boophilus microplus e Anocentor nitens. Ambas apresentam ciclo monoxeno, ou seja, só possuem um hospedeiro e, por isso, o controle dessas espécies é mais fácil de ser realizado.


Controle estratégico de ectoparasitas

Deve-se realizar sucessivos banhos carrapaticidas, a cada 7 a 10 dias, nos períodos de predominância de ninfas e larvas, com produtos com bases químicas piretroide e cipermetrina (0,015%).

Deve-se dar atenção ao pavilhão auricular na hora dos banhos, pois nesse local costuma se concentrar grande número de ectoparasitas.

Outros cuidados importantes para controle dos ectoparasitas é a separação do pasto de equinos e bovinos e a catação das fêmeas ingurgitadas.

Fêmea ingurgitada.

Fêmea ingurgitada.


Para saber a dose de antiparasitário a ser administrada, deve-se pesar o animal e seguir as recomendações do fabricante.

Antiparasitários via pour on podem ser diluídos em álcool a 70% na medida de 4 x 1: quatro doses de álcool para 1 dose de antiparasitário pour on. Dessa forma, ao invés de aplicar o remédio apenas no dorso-lombo do animal, a aplicação pode ser feita em diversas partes do corpo.

Atenção:
Ao fazer a catação de carrapatos, jamais jogue os parasitas no chão. Jamais mate os carrapatos no chão. Após a catação, os carrapatos devem ser colocados em um recipiente hermético para evitar a disseminação de doenças e a contaminação do ambiente em que os vivem animais.


Aprenda mais sobre o assunto na disciplina - Doenças dos equinos - disponível na Área VET Profissional, a mais moderna ferramenta de capacitação para médicos veterinários e estudantes de veterinária disponível no mercado, com a qual você obterá todos os conhecimentos necessários para garantir o bem-estar dos animais e alcançar êxito em sua profissão.

Receba Mais Informações