Escarificação cirúrgica: você sabe o que é?

A escarificação é o preparo de mãos e antebraços de todos os integrantes da equipe cirúrgica objetivando proteger o paciente contra contaminações

Escarificação cirúrgica: você sabe o que é?

A escarificação cirúrgica é o preparo de mãos e antebraços de todos os integrantes da equipe cirúrgica e tem como finalidade exercer o bloqueio do crescimento bacteriano. “A escarificação atua separando os microrganismos da pele e colocando-os em contato com agente antimicrobiano”, explica Kelly Cristine de Sousa Pontes, Médica Veterinária e Professora do VET Profissional, Doutora em Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais e Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia.

Quais são os objetivos da escarificação?

- Remoção de sujeira e gordura de mãos e antebraços;

- Redução da população bacteriana transitória e residente.


Deve-se ter em mente que o processo de escarificação envolve cuidados pessoais de médicos, auxiliares e instrumentadores, entre eles:

- Não usar joias: anéis, pulseiras, brincos, colares, relógios e outras.

- Unhas: aparadas e sem esmalte.

- Lesões abertas e fissuras cutâneas nas mãos e braços impedem o médico de fazer a cirurgia.


Em casos em que o médico estiver fazendo a escarificação e houver algum tipo de contaminação durante as etapas (contato indevido com objetos, pia, torneira, esquecimento de limpeza de determinada região das mãos e dedos), é necessário que reinicie as etapas de preparo de mãos e antebraços novamente.

Na Medicina Veterinária, os métodos de escarificação cirúrgica aceitos são:

- Escarificação cronometrada anatômica (5 minutos).

- Golpes de escovas contados (10 golpes por área superficial cutânea).


Após a escarificação, é necessário fazer duas escovações e enxaguadas completas das mãos e antebraços. Se o médico tiver, na agenda, mais de uma cirurgia programada por dia, a primeira escarificação do dia pode levar de 5 min a 7 min. E entre as cirurgias subsequentes leva-se de 2 min a 3 min para fazê- la.

Para finalizar, é necessário calçar as luvas. O médico não pode tocar na superfície externa das luvas, apenas na parte interna. Você verá que elas já são vendidas preparadas para o procedimento, com a metade ao avesso e os polegares posicionados para cima. Após calçar as luvas, o punho das mesmas deve sobrepor-se ou cobrir os punhos do avental cirúrgico.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Cirurgia de Cães e Gatos do VET Profissional, com a Prof.ª Dr.ª Kelly Cristine de Sousa Pontes, Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia, pela Leiden University – Holanda e Doutora em Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais, pela Universidade Federal de Viçosa. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações