Fraturas ósseas em cães e gatos: você sabe classificar uma fratura?

A fratura é uma lesão óssea traumática, que deve ser classificada e descrita com exatidão para identificar a conduta necessária para cada tipo encontrado.

Fraturas ósseas em cães e gatos: você sabe classificar uma fratura?

A fratura é classificada como uma solução de continuidade do tecido ósseo. “Acontece devido a um trauma ou à fragilidade óssea causada por doença (fratura patológica)”, explica Sâmara Turbay Pires, Médica Veterinária e Professora do VET Profissional, que é Mestre em Diagnóstico por Imagem e Doutora em Biociência Animal.

As fraturas podem ser classificadas de acordo com: Tipo de lesão (fratura ou fissura); extensão da fratura (completa ou incompleta); quantidade de fragmentos (simples ou cominutiva - presença de esquírolas); presença de ferida no local (fratura aberta ou fechada); direção da fratura (oblíqua - angulação no local da fratura, transversa ou espiral - cortical com pontas grandes em lados opostos); e desvio de fragmentos fraturados (sem desvio de eixo ósseo ou com desvio de eixo ósseo).

Exemplos de classificações de fraturas

Exemplos de classificações de fraturas: Completa (A) e incompleta (B); Ferida aberta (C) e fechada (D); Transversa (E), oblíqua (F) e espiral (G).


Existem também as classificações de outros tipos de fraturas que não se encaixam nas citadas anteriormente, relacionadas a ossos longos. Veja a seguir.

a) Fraturas por avulsão

- Ossos com fixação de tendões, ligamentos ou cápsulas.

- Quando uma força maior (estiramento) é feita nessas regiões, puxando o osso, ocorre esse tipo de fratura.

- Local mais comum de ocorrência: tuberosidade da tíbia.

b) Fraturas epifisárias: Salther-Harris

- Fraturas em filhotes, com ocorrência nos discos epifisários.

- Dependendo de como acontece a fratura nessa região do disco epifisário, tem-se as classificações:

Tipo I: deslocamento da epífise em relação à metáfise.
Tipo II: além do deslocamento, existe um pedaço da metáfise que fica junto ao fragmento fraturado.
Tipo III: fratura no disco epifisário, separando a região de epífise.
Tipo IV: fratura na epífise, pegando uma parte da metáfise.
Tipo V: fratura por esmagamento, com distância mínima entre epífise e metáfise.

c) Luxações (fratura traumática)

Luxação é quando ocorre a perda de congruência nas regiões das articulações. A classificação das luxações deve basear-se na região que está luxada, indicando se é direito ou esquerdo.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Diagnóstico por Imagem de Cães e Gatos do VET Profissional, com a Prof.ª Dr.ª Sâmara Turbay Pires, Mestre em Diagnóstico por Imagem e Doutora em Biociência Animal, pela Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos na Universidade de São Paulo (USP). O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações