Sr. Veterinário, saiba mais sobre a retenção de placenta

A retenção de placenta é a não expulsão da placenta dentro do período de 12 horas após o parto. O comum é considerar um caso de retenção de placenta se a expulsão não tiver ocorrido até o dia seguinte

Sr. Veterinário, saiba mais sobre a retenção de placenta   Artigos VetProfissional

A retenção de placenta é a não expulsão da placenta dentro do período de 12 horas após o parto. Em algumas literaturas consta que esse período pode ser de 24 horas, mas, como é difícil saber com exatidão a hora em que o parto ocorreu, o comum é considerar um caso de retenção de placenta se a expulsão não tiver ocorrido até o dia seguinte.

“A retenção de placenta, apesar de ter uma baixa mortalidade, fornece pre-disposição para outras enfermidades, o que faz com que os índices reprodutivos sejam comprometidos por longos períodos”, explica Pedro Henrique de Araújo Carvalho, Médico Veterinário e Professor do VET Profissional, que é Mestre em Zootecnia - Nutrição Animal e Doutorando em Nutrição de Ruminantes.

Para expelir a placenta, o corpo de animal utiliza os movimentos uterinos e o bom funcionamento do sistema imune que vai reconhecer as estruturas placentárias como um corpo estranho e eliminá-lo. Dessa forma, casos de retenção de placenta podem estar relacionados com o enfraquecimento da imunidade do animal, sobretudo pelo fato de o parto ser desencadeado pela concentração plasmática de cortisol, o qual age como um inibidor da ação do sistema imune.

Os abortos têm altíssimas taxas de retenção de placenta. Aqueles que ocorrem próximos aos 150 dias, têm probabilidade de retenção de placenta em até 15%, mas se acontecem no terço final, próximo de 230 ou 250 dias, há um aumento na probabilidade de retenção de placenta de até 50%, o que vai ocasionar problemas sérios para o animal.

O diagnóstico da retenção de placenta é simples, pois é fácil perceber que a vaca não expulsou os anexos fetais. Entretanto, essa facilidade, muitas vezes, leva ao tratamento errado, culminando em outras afecções do trato reprodutivo. Dentre os tratamentos relacionados, tem-se:

- Antibioticoterapia por via sistêmica – altamente efetiva, de baixo custo e de eficiente prevenção contra a metrite puerperal aguda, que é a principal consequência da retenção de placenta.
- Antibioticoterapia intrauterina – que tem que ser feito com muita cautela, pois o útero está altamente friável após o parto.
- Hidratação – sendo a principal forma a hidratação enteral, que é simples, barata e eficiente para auxiliar o animal a ter condições de se recuperar.
- Administração de hormônios – três hormônios são muito utilizados para a expulsão da placenta: prostaglandina f2 alpha, estrógeno e ocitocina. A literatura diverge sobre a eficácia desse tratamento.

É muito comum observar produtores que têm por ímpeto realizar a remoção manual da placenta retida, o que é um problema enorme uma vez que a tração pode causar sérios danos no trato reprodutivo, aumentando ainda mais a pré-disposição para a metrite puerperal aguda.

A metrite puerperal aguda é uma infecção de pós-parto geralmente bacteriana (Streptococcus e Staphylococcus) e que normalmente afeta animais que sofreram retenção de placenta. Existem outras afecções do trato reprodutivo e do útero como um todo, mas a mais importante pela alta mortalidade talvez seja a metrite puerperal aguda. Seu diagnóstico se faz por meio da palpação retal, percebendo-se um aumento do volume uterino e secreções purulentas, além de outros sintomas como aumento de temperatura, taquicardia, taquipneia.

É importante realizar a cultura do muco para identificar qual é o agente patológico causador. O tratamento é o mesmo estabelecido para a retenção de placenta. Cistos foliculares e doenças ovarianas são outras doenças que estão relacionadas ao processo produtivo e que são normalmente tratadas a partir de protocolos hormonais.


Aprenda mais sobre esse assunto na área Clínica Médica de Bovinos do VET Profissional, com o Prof. Dr. Paolo Antônio Vivenza, Mestre e Doutor em Nutrição e Produção Animal pela Escola de Veterinária da UFMG, e com o Prof. Dr. Pedro Henrique de Araújo Carvalho, Mestre em Zootecnia - Nutrição Animal pela mesma universidade, e Doutorando em Nutrição de Ruminantes também pela UFMG. O VET Profissional é a plataforma de aperfeiçoamento mais completa para Médicos Veterinários e estudantes de Veterinária, com milhares de vídeos e centenas de livros digitais, para aprender rápido e salvar mais vidas. Tenha acesso ilimitado a centenas de aulas práticas, cursos online, casos clínicos e casos cirúrgicos na palma da sua mão!

Receba Mais Informações